Buscar
  • webrazil

Entidades criticam taxa da Aneel em audiência

Entidades e empresários do setor solar criticaram a intenção da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) de taxar a geração distribuída a partir do ano que vem, em audiência pública promovida pelo órgão regulador em Brasília. O encontro, ocorrido no último dia 7/11, durou oito horas e contou com 827 participantes, segundo a agência. A maioria deles aproveitou para fazer um ato, do lado de fora, em protesto contra a mudança de regras. 


Entre os participantes da audiência pública da Aneel, em Brasília, também estavam parlamentares e representantes de conselhos de consumidores: auditório lotado e protestos Fotos: Reprodução/Site Aneel

A consulta pública referente à proposta da Aneel foi iniciada no dia 17/10 e continuará a receber contribuições até 30/11.

No evento, o presidente-executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Sauaia, disse que os benefícios da geração distribuída devem ser valorizados e que o momento não é de taxar, pois o setor ainda precisa crescer. Segundo ele, vantagens ambientais, sociais, econômicas e estratégicas para o sistema estão sendo desconsideradas. As declarações foram divulgadas no site da Absolar.


“A análise da agência deve incluir, por exemplo, a postergação de investimentos em transmissão e distribuição de eletricidade, alívio das redes pelo efeito vizinhança, geração de emprego e renda, diversificação da matriz elétrica e redução de emissões de gases de efeito estufa, entre diversos outros benefícios que superam, em muito, quaisquer eventuais custos da geração distribuída”, comentou Sauaia.

Ele disse ainda que é fundamental que a Aneel mantenha a segurança jurídica e preserve os contratos de quem já investiu em geração distribuída por, pelo menos, 25 anos - postergando a cobrança prevista em 2030.


Já representantes de empresas do setor frisaram que confiaram nas regras atuais para investir e que beneficiam a todos, gerando empregos e movimentando a economia. 

Regras


A Aneel prevê taxa por uso de fio da rede elétrica a partir de 2020 para novos geradores solares. Para os atuais geradores, essa taxa, e encargos, devem ser cobrados a partir de 2030. Hoje, quem gera energia excedente pode compartilhar a sobra na rede e abater esses créditos integralmente na conta, sem taxas. A Aneel diz que a medida vai apenas equilibrar o sistema, pois o consumidor comum não tem essas isenções.

Segundo a Absolar, dos 84,4 milhões de consumidores atendidos pelas distribuidoras de energia elétrica, menos de 165 mil possuem geração distribuída fotovoltaica, ou seja, 0,2% do total. A proposta da Aneel pode cobrar até 60% sobre a energia injetada na rede.

#RevisaoRN482 #TaxarOSolNao #Fotovoltaico #AudienciaAneel #Aneel #WeBrazilEnergy

87 visualizações1 comentário
  • Branca ícone do YouTube
logo_we_brazil_energy (1)2.png