Buscar
  • webrazil

Agência vê energia verde como peça-chave após pandemia



A Agência Internacional de Energia Renovável (Irena, na sigla em inglês) defende o investimento em energia renovável como peça-chave na reconstrução da economia mundial após o enfrentamento da pandemia da Covid-19.


Em texto divulgado na última semana, o diretor-geral do órgão, Francesco La Camera, diz que as metas ambientais traçadas pelos governos nas Nações Unidas, antes desta crise, devem ser mantidas e servirem como "bússola" para a reconstrução.

O diretor concorda com autoridades de saúde que, neste momento, a prioridade total é salvar o maior número de vidas possível, controlando as emergências. Mas avalia que ações econômicas complementares devem considerar a sustentabilidade.

"Os governos estão embarcando na tarefa monumental de criar pacotes de estímulo e recuperação. Elas estão em uma escala para moldar sociedades e economias nos próximos anos. Essa resposta deve estar alinhada com as prioridades de médio e longo prazo. As metas estabelecidas na Agenda 2030 das Nações Unidas e no Acordo de Paris podem servir como uma bússola para manter o curso durante esse período desorientador", defende La Camera.

Segundo a Irena, transições de energia já estão em andamento e as fontes solar fotovoltaica e eólica se tornaram as mais baratas em muitos mercados.


O segmento fotovoltaico não deve deixar de sofrer impactos da crise da Covid-19, mas eles serão diferentes do que em outros setores. "Os governos podem recorrer a uma transição energética baseada em energias renováveis ​​para trazer uma gama de soluções neste momento difícil. Muitas tecnologias renováveis ​​podem ser incrementadas com relativa rapidez, ajudando a revitalizar indústrias e criar novos empregos", diz o diretor da Irena.

Papel social

Uma outra vantagem das tecnologias fotovoltaica e eólica é a descentralização, que permite um maior envolvimento dos cidadãos e das comunidades nas decisões energéticas, com "implicações sociais transformadoras".

"É importante ressaltar que elas (fontes renováveis) oferecem uma abordagem comprovada para os cuidados de saúde remotos em comunidades carentes de energia e adicionam um elemento-chave ao kit de ferramentas de resposta a crises", defende o dirigente.

Diretor-geral da agência internacional, Francesco La Camera: manutençao de metas ambientais Foto: Divulgação

As medidas de recuperação podem ajudar a instalar redes elétricas flexíveis, soluções de eficiência, de carregamento de veículos elétricos, armazenamento de energia, energia hidrelétrica interconectada, hidrogênio verde e várias outras tecnologias. "Chegou o momento de reduzir ou redirecionar os subsídios aos combustíveis fósseis."

Conforme La Camera, os governos precisarão de abordagens inovadoras para garantir financiamentos na escala e velocidade necessárias. Argumenta ainda que os investimentos devem ser direcionados para onde for necessário, inclusive para os países e comunidades mais vulneráveis.

NÚMEROS


O setor de energias renováveis atingiu 11 milhões de empregos em todo o mundo em 2018 e pode quadruplicar até 2050, enquanto os empregos em eficiência energética e flexibilidade do sistema podem crescer em outros 40 milhões.


#Sustentabilidade #EnergiaLimpa #EnergiaSolar #Fotovoltaico #Irena #Covid19 #Coronavírus #WeBrazilEnergy

5 visualizações
  • Branca ícone do YouTube
logo_we_brazil_energy (1)2.png